CastraPet Paraná

O Programa Permanente de Esterilização de Cães e Gatos (CastraPet Paraná), promovido pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, com apoio das prefeituras, busca o controle populacional de cães e gatos e prevenção de zoonoses. A meta do programa é que até final de 2022 a castração ocorra em 60% dos municípios paranaenses.

O Programa está no contexto da Saúde Única, que relaciona a saúde ambiental, animal e humana, conscientizando a população sobre a importância da castração na saúde dos animais, na prevenção de abandono (evitando ninhadas indesejáveis), e para a saúde das pessoas com informações referentes à importância da vacinação, vermifugação e visitas periódicas ao veterinário, bem como dicas de guarda responsável.

O primeiro ciclo atendeu 15 mil animais em 45 municípios, com investimento de R$ 2,4 milhões. Nesse segundo ciclo, que se iniciou em junho de 2021, serão investidos R$ 2,5 milhões, do Fundo Estadual do Meio Ambiente e de emendas parlamentares, para beneficiar 80 municípios.

 

Como participar do Programa?

Os municípios que desejam realizar as castrações devem entrar com solicitação junto à Sedest ou aos Deputados Estaduais para liberação de recurso.

As prefeituras contempladas que definem os critérios de atendimento (CAD Único, protetores, OCS, animais de rua, etc) de acordo com a realidade do município. O agendamento da população é feito diretamente com a prefeitura.

No momento da inscrição, os tutores vão receber as orientações de pré e pós-operatório para que as cirurgias aconteçam de forma segura. Todos os animais devem ser cadastrados no Pet Amigo – Cadastro Estadual de Animais de Companhia. Para fazer o cadastro basta acessar o site Piá, digitar na busca “Pet Amigo”, clicar na opção “Cadastrar animal” e preencher as informações solicitadas.

Após a castração, as famílias recebem gratuitamente a medicação pós-operatória e aplicação de microchip eletrônico de identificação animal, além de receberem todas as orientações para cuidados pós procedimento.

 

Confira os municípios atendidos com o recurso de R$ 2,4 milhões no primeiro ciclo:

Campo Mourão (553), Corumbataí do Sul (316), Luiziana (379), Araruna (190), Engenheiro Beltrão (379), Alto Paraná (184), Paranavaí (553), Cambira (151), Jandaia do Sul (166), Apucarana (277), Sarandi (277), Maringá (277), Mamborê (379), Quarto Centenário (505), Janiópolis (316), Peabiru (553), Terra Boa (631), Flórida (139), Borrazópolis (360), Bituruna (56), Capanema (166), Colombo (360), Foz do Iguaçu (553), Imbituva (111), Itaperuçu (553), Matelândia (139), Pinhais (553), Piraquara (277), Santo Antônio do Sudoeste (139), São José dos Pinhais (553), São Miguel do Iguaçu (719), Alto Paraíso (231), Alto Piquiri (385), Altônia (308), Cruzeiro do Oeste (231), Esperança Nova (154), Guaíra (462), Icaraíma (308), Iporã (308), Maria Helena (231), Mariluz (385), Perobal (231), Pérola (385), Santa Isabel do Ivaí (231) e Tapejara (462).